quarta-feira, 7 de julho de 2010

Governo Lula multiplica número de jovens negros na universidade

Em sete anos, mais jovens negros entraram nas universidades do que nos últimos 20 anos. Esse é o resultado concreto das políticas de inclusão social adotadas desde 2003 pelo governo Lula. O sistema de cotas para negros e pardos nas universidades federais brasileiras foi adotado em 2004, na Universidade de Brasília (UnB). Na época, menos de 2% do percentual de estudantes universitários brasileiros eram negros, apesar de representarem mais de 46% da população brasileira. Hoje, já são quase um milhão de estudantes negros em cursos superiores e 17 universidades federais mantém sistema de acesso por meio de cotas. O sistema, contudo , é torpedeado diariamente por simpatizantes e integrantes do PSDB e do DEM, que não negam sua contrariedade com a mobilidade social propiciada pelo governo do PT e aliados, na busca da correção de injustiças históricas.

Pesquisa realizada pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) indica que, durante os últimos sete anos, mais jovens negros ingressaram em universidades públicas do que nos vinte anos anteriores. Para o militante do movimento negro, Paulo Ramos, “as oportunidades para a juventude negra foram ampliadas durante o governo Lula em função das políticas sociais”.

Em encontro com negros e negras do PT, em Brasília, a candidata do PT, Dilma Rousseff, defendeu a manutenção das políticas afirmativas e de cotas. Segundo ela, nos últimos anos o governo teve grandes avanços nesse campo, mas é preciso fazer mais. “O que nos une é o compromisso de que vamos continuar fazendo políticas afirmativas e de cotas, queiram eles ou não queiram”, afirmou Dilma.

Só no ano passado, com a política de cotas e com o Programa Universidade para Todos (ProUni), aumentou em quase 50 mil o número de alunos negros nas universidades brasileiras. No primeiro semestre de 2009, houve um acréscimo de 5% no número de estudantes negros nas instituições de ensino superior.

Em sua primeira edição, no ano de 2004, o ProUni foi o principal responsável pela inserção maciça dos afrodescendentes, ao oferecer 46 mil bolsas de estudo para o sistema de cotas, o que significou 41,5% das 112 mil vagas disponibilizadas pelo programa.

O ex-diretor do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Carlos Henrique Araújo, defende o sistema de cotas, tanto nas universidades públicas, quanto nas universidades privadas, por meio de isenção fiscal. “O fenômeno de exclusão educacional atinge de maneira muito mais forte o aluno negro. A peneira é fechada para todos e muito mais fechada e seletiva para os alunos negros", revela o diretor.

Os estudantes que entraram na universidade por ação afirmativa têm direito, desde 2009, a 600 bolsas oferecidas pelo Programa Institucional de Iniciação Científica (Pibic), no valor de R$ 360 por mês, pagos durante um ano. Em maio, esse número foi ampliado para 800 bolsas.

Além disso, 250 alunos oriundos do ProUni e de outras ações afirmativas serão beneficiados pelo programa para concessão de bolsas de mestrado e doutorado para apoiar a produção científica de estudantes negros. O programa foi criado este ano e as bolsas serão distribuídas neste semestre.

3 comentários:

gracinha.fmk disse...

Dilma os temas que trouxe em debates na campanha revelaram sua pretenção politica e sua ideológia.
A politica que o presidente Lula emplantou em nosso país funciona ,eu acredito que vc vai dar continuidade.Estou fazendo campanha a seu favor acreditando nas sua propostas.Peço a você eleita cuida da saúde do nosso país ,por favor. Estou com você,bjo que Jesus te ilumine .Francisca M° de Lima.

Meury Amada por Jesus disse...

queridos amigos comcordo com vcs ok mais e que o povo brasileiro e maioria sem esclupo sem comtar que e igual as mulheres pobres que so leva a vida em parir sem comdiçãoes de criar mesmo pasando muita fome e muita dor para parir esquese a dor logo que pare e muitas delas emprenha antes de um mes de novo asim e maioria desta gente que quer o governo sera esqueseram do governo fernamdo emrique que e o mesmo serra ganhamdo mais 4 anos de fome esta gente esqueseu que pasaram 8 anos sem comer um pedaço de carne sem ter comdiçães de comprar um menor eletro domestico ou melhor sem poder nada governo lula todos pode tudo pobre tem tudo caro casa comida tudo que rico tem ate falcudade que sempre foi coisa de rico hoje e para todos a amigo gostaria de poder refrescar a memoria de todos os brasileiros que querem voltar a comer o vomito mixuruco asedo do governo fernando emrique ou gente de memoria fraca acorda povo buro anda pra frente para tras anda carangueijo que de imdiota perdeu a cabeça e se lascou ok chega de fernamdo emrique que pisou 8 anos com sapato de lam deixou o brasil com um pe na cova outro na beira do buraco se nom e lula o brasil ja era defumto a 8 anos ok brasileiros sejam emteligente olhem para frente o alvo esta em nosa fremte numca atras ok quem vive pasado ruim e museu pas brasileiros e sejam emteligentes o brasil e noso tem que andar para frente pas dilma sim sera nom ok

Meury Amada por Jesus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.