segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Voto distrital, a tentativa de um novo golpe da direita brasileira

Sempre que necessário a direita brasileira recorre a seus alfarrábios coloniais para vender seu peixe. Neste momento em que se começa a debater uma reforma política para aperfeiçoar nossa democracia, os conservadores recorrem a uma mistificação em torno das supostas virtudes do voto distrital e tenta nos vender o sistema eleitoral falido da Inglaterra - na expressão utilizada pelo Primeiro Ministro Gordon Brown, em 10 de maio de 2010 -; como a última panacéia democrática.

Essas ponderações são feitas em artigo escrito pelo deputado federal por São Paulo e ex-presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini (foto), e pelo assessor político da Liderança do PT na Câmara, Athos Pereira. Os dois articulistas mostram que um dos princípios básicos da democracia consiste em garantir que a cada eleitor corresponda um voto. " Para as eleições legislativas o sistema que pode garantir o princípio a cada eleitor um voto é o sistema proporcional e este sistema é quem também pode garantir a pluralidade que se espera de qualquer legislativo que se respeite".

"A primeira vítima do sistema distrital é a pluralidade. Este sistema tende a privar de representação parlamentar as minorias, por mais expressivas que elas sejam; cria condições para que minorias sociais se transformem em maiorias parlamentares; tende a impor um bi-partidarismo que seguramente está longe de refletir a complexidade das sociedades modernas e elimina completamente a oportunidade de fazer com que a cada cidadão corresponda um voto, como deve ser nas democracias".
Clique aqui para ler a íntegra do artigo.

Um comentário:

Epitacio disse...

O voto distrital privilegia o desejo maior de um distrito , uma área do espaçoi , uma cercania geografica coisa interessante na época do mundo sem INTERNETE !!!!!!!!!!!!!!!!
Hoje no nosso mundo sem fronteiras não mais faz sentido !!!!!!!! as realizaçoes dos deputados não são pregadas nos muros para serem publicadas aos eleitores dos bairros , mas difundido eletronicamente e assessado em qualquer parte do mundo.....

Esse negocio de voto distrital deve ter sido coisa da idade média ,da Alemanha do século passado.....hoje em todas as esquinas tem uma internete e possibilidade de acompanhamento do seu deputado , senador ou vereador .